A jornada do herói e suas lições para os bons contadores de histórias

Quer saber o que os mocinhos de Hollywood têm em comum com Hércules, Teseu e todas as figuras da mitologia? Ou ainda, existe uma fórmula para escrever uma história que cative a audiência, independente das suas diferenças? A resposta é: sim (e não). Vou reformular: existe sim um ponto de partida –  que data dos mitos mais antigos da nossa cultura

O norte-americano Joseph Campbell dedicou boa parte da sua vida para estudar mitologia, e desenvolveu uma teoria que foi publicada em livro: O Herói de Mil Faces (recomendo muito!). O estudioso descobriu que há uma jornada comum percorrida pelo arquétipo do herói nos mitos antigos e chamou esse modelo de Monomito. Desde então, a teoria tem sido aplicada de pequenos contos até fenômenos da cultura pop. como Star Wars. Encontrei essa animação do TED Ed que apresenta uma síntese do assunto com ilustrações e exemplos super fáceis. Ativem a legenda em português e confiram:

jornada do herói

 

Quem já estudou alguma coisinha de cinema vai identificar os tradicionais pontos de virada, e a estrutura harmonia/desarmonia/harmonia. O legal do modelo de Campbell são as semelhanças com o trabalho de Jung, puxando para a psicologia. As mesmas fases que o herói percorre podem ser aplicadas em nossa própria vida e nos desafios que entrentamos.

Voltando à fórmula para uma boa história:  é claro que a Jornada do Herói não é uma receita de bolo. Afinal, o objetivo de conhecer as regras é saber quando quebrá-las. Um exemplo super atual é o do George Martin, autor de Game of Thrones: o primeiro livro apresenta uma jornada clássica do herói Ned Stark, até cortarem a cabeça do coitado. Essa quebra de expectativa brinca com a audiência e rompe paradigmas mas, por outro lado, o leitor precisa de um herói clássico para se identificar. Ned se foi, mas Jon Snow e Daenerys Targaryen são bem heróicos, certo? Não é de graça que os arcos da rainha dos dragões e do bastardo de Winterfell são alguns dos mais populares na história.

Para quem se interessa por escrita criativa, cinema ou mesmo quem precisa melhorar suas apresentações, recomendo as dicas do Ficção em Tópicos e o pequeno manual do Roteiro de Cinema. As referências são intermináveis, então bora procurar no Google pela Jornada do Herói, ok?

Via Brainpickings

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *