Artista chinês cobre ponto turístico de Berlim com 14 mil coletes de refugiados

Em tempos de intolerância, uma manifestação singela é capaz de revelar todo o poder da arte para traduzir o espírito do tempo e inspirar o bem. Esse poder se manifestou por meio do artista e ativista chinês Ai Weiwei, uma figura de destaque na resposta europeia à crise dos refugiados. No dia 13 de fevereiro, ele revelou uma instalação impactante no Teatro de Berlim. O artista envolveu as colunas do edifício em 14 mil coletes salva-vidas descartados pelos refugiados na ilha grega de Lesbos – aquela que serve de entrada para os sírios na Europa. Em uma tarefa nada fácil, os 14 mil coletes foram agrupados como parte do projeto, que demorou aproximadamente um mês para ser concluído.

refugee-life-jackets-konzerthaus-ai-weiwei-16  refugee-life-jackets-konzerthaus-ai-weiwei-17  refugee-life-jackets-konzerthaus-ai-weiwei-6  refugiados-berlim

A instalação foi montada em parceria com o baile Cinema for Peace (Cinema pela Paz), que ocorreu no dia 15 de fevereiro. Weiwei afirma que cada colete simboliza uma vida para a qual chegar na ilha de Lesbos é apenas o começo. Quem curtiu a ideia pode conferir mais sobre o projeto no Instagram do artista, no qual ele compartilha algumas das fotos de refugiados que ainda estão em busca de asilo.

As imagens do Instagram se confundem na linha entre a arte e o fotojornalismo – e fazem um excelente trabalho de conscientização sobre o tamanho da crise e a importância da fraternidade.

Saiba mais em: aiweiwei.com | cinemaforpeace.com | Facebook | (h/t:designboom)

Via Bored Panda

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *