O encontro do Ballet e da Robótica em Francesca da Rimini

Morro de amores pelo ballet. Nunca fiz quando era criança, e estou tendo a oportunidade de aprender agora que sou adulta. Do pouco que conheço, sei que os movimentos exigem um controle absoluto de cada pedacinho do corpo – alguns que a gente nem sonha que existam. Sendo assim, dá para imaginar a dificuldade que é tentar registrar tudo isso com uma câmera. Qualquer pessoa que tenha assistido a um espetáculo de dança e depois visto a gravação, sabe que a última fica devendo muito ao original.

Pois bem. O diretor Tarik Abdel-Gawad reuniu os dois Principal Dancers do Ballet de São Francisco para o projeto Francesca da Rimini, no qual utilizou uma câmera controlada por robô a fim de registrar os movimentos dos bailarinos em uma perspectiva “nunca-antes-vista”. Motion-capture, bonecos 3d e muito trabalho renderam ao vídeo o selo Staff Pick do Vimeo, como é possível ver aí embaixo:

O resultado dá nitidamente a impressão de que a câmera faz parte da coreografia. Tanto que assisti ao vídeo final antes do making of, e nem me liguei no trabalho da produção. Simplesmente me senti mergulhada na peça  (o que, eu imagino, era o objetivo final). Resumindo, a equipe captou muito bem a dinâmica e a essência dramática dos movimentos do ballet. Para quem acha meio chato, recomendo assistir pensando em todos os ângulos da câmera para ter uma ideia da dificuldade do negócio – não é qualquer gruazinha que faz isso, hein.

 

Continue Reading

Amor nosso de cada dia

Então, eu ainda não tenho uma ideia 100% precisa da ~linha editorial~ desse blog. Só sei que vou compartilhar as coisas que eu curto e me cativam de alguma forma. E, dando uma olhada no Behance, a primeira delas foi o trabalho do ilustrador Simone Massoni (que no início eu achei que era mulher, graças a esse nome).

O projeto que me chamou atenção foi o “The Love Issue”  para a New Yorker Magazine. São ilustrações no estilo spot – elas não fazem parte de uma única matéria, foram espalhadas aleatoriamente pela revista. E tem aquele tema que faz vibrar nossos coraçõezinhos: o amor. Algumas retratam o amor não correspondido, outras aquele momento em que o casal se vê pela primeira vez e tãdããn e uma em especial foi feita para mim: a bobona que ouve música e chega a sonhar com coraçõezinhos quando está apaixonada. Olha só:

loveillustrations04

Fofo, né? Um detalhe que eu esqueci de mencionar: todas são em preto, branco e alguns detalhes em vermelho. Eu já tenho uma queda por estilo minimalista e, somando isso a um traço delicado, gamei na hora. Além disso, o trabalho dele me lembrou as imagens da Clarissa Motta Nunes, outra ilustradora que tem um traço todo docinho. Mais algumas imagens:

10e88e24c9660f08c2de19279d6ba7d8 06b1a0cca7c18d43a03432a4ac9d2abf8248f0eee90104e3316eb5a6f23f7782 fdfbeddc799ab308a4f3d49a274cd27c

Quem nunca  se sentiu como o clone de Dick Vigarista ali em cima, fugindo desesperado do amor depois de tomar um pé na bunda daqueles? Eu já, com certeza. E me sinto mais ou menos assim todo domingo na hora do Fantástico, não importa quantos corações caiam em cima de mim.

Quem quiser conferir mais imagens, pode acessar direto no Behance do Simone (e dar um like no projeto, caso tenha uma conta por lá).

 

Continue Reading